Blog Archives

Mas que PALHAÇADA! | Review The Glee Project 1×09 – Generosity

Ai que episodio desnecessário! Foi belo, teve uma mensagem legal, bonita, mas no fim se provou desnecessário para o julgamento dos Gleekabes. Saca só!

  

O episodio seguiu sua formula rotineira. Primeiro tivemos o Homework Assigment onde eles deviam trabalhar o tema da semana, Generosidade, na música “Lean On Me”. O jurado convidado foi Kevin McHale, o Artie.

  

O cara ouviu os Gleekabes lindamente e deu a vitória, finalmente e merecidamente, para Lindsay.

  

Depois foi revelado que no videoclipe eles teriam que “tocar” instrumentos e dividiriam a tela com companheiros. Momentos depois, Zach passa a cada concorrente o seu instrumento. Damian, que pedia pra não pegar a bateria, logicamente, pegou a bateria, Samuel ficou no teclado (boring), Alex no baixo e Lindsay (Lynda) ficou com a guitarra.

Depois fomos apresentados aos seus companheiros de tela, que se tratam de crianças que terão os Gleekabes como seus mentores. Juntos, gravarão o vídeo para “Sing”, do My Chemical Romance. Na gravação dos vocais e do vídeo todos foram bem, lindos, bonitos. Whatever, ok, nada de muito importante aqui.

  

O clipe ficou legalzinho, Alex foi babaca como sempre, e Samuel também não conseguiu convencer como generoso, apesar de se sair bem com seu parceiro. Damian ficou fofo, e Lindsay tá linda as usual!  Veja só:

  

Agora vem o que me incomodou. Eis que Robert diz que recebeu uma ligação de Ryan e Robert e Zach não estariam ajudando Murphy nessa semana, mas sim Ian Brennan, co-criador e roteirista de Glee. Até aí tudo ok! Aí dizem que como Ian não conhece NENHUM deles, Ryan quer que TODOS se apresentem para Ian conhecer cada um. Ok também!

  

Alex deu (ui!) a largada nas apresentações. A beesha carão cantou “His Eyes On The Sparrow”, uma música cantada geralmente na igreja ou em velórios. Tem gente que curte. Anyway, a moça o cara cantou bem, mas continua antipático e presunçoso as usual. E a voz dele chegou a ficar um pouco irritante… #prontofalei! Tentou fazer a simpática e dizer que está em paz com a canção que cantaram no velório de seu pai. Whatever, não me convenceu!

  

Damian cantou “I Gotta Be Me”, de Sammy Davies Jr. A música combinou bastante com seu estilo e o cara fez uma de suas melhores e mais confortáveis apresentações. Merece ir pra final com certeza! Sem dúvida foi o que mais cresceu durante o programa. Ian jogou até a ideia que seria um bom personagem pra brincar com Brittany. Pelo seu sotaque irlandês, a brincadeira rolaria que S.Pierce não conseguiria entendê-lo. Rysos.

  

Aí vem Lindsay, raio de Sol! Ela tá cada vez mais linda. Confesso que no começo a odiava como todos, achava ela falsa, mesmo sendo apaixonado por sua voz. Mas depois que eles foram tirando todos meus favoritos (ou eles foram se tornando babacas, né Cameron?) eu comecei a ver a beleza dela. Até revendo os outros episódios, vejo que gosto e sempre gostei de suas performances, sendo ela falsa ou não. E isso, é pra contar muito. Afinal, imaginaria-se que neste processo todo de escalação, quisesse um ator/atriz mais versátil (adoro!) possível, e que conseguisse entregar atuações, músicas e danças boas. Lindsay é o pacote completo! Mesmo sendo taxada de falsa (não acho mais que ela seja), ela semana a semana entrega um bom resultado, mesmo com os produtores tentando sabotá-la, como fizeram com tantos outros. A gata cantou “Defying Gravity”, do musical Wicked. Sem novidades aí, a gata ahazzzou demais! O tempo todo Ryan e Ian sorriam para ela. Apesar de não ter sido tão elogiada, foi dito que eles precisam de alguém como ela no grupo.

  

Samuel ficou por último e cantou “My Funny Valentine”, e o cara não conhecia a música! Qual é, mermão? Anyway, o cara não foi tão mal como eu esperava, apesar de continuar mostrando uma grande versatilidade… NOT! Os jurados não elogiaram, falaram que ele é o menos autêntico dos 4. Promissor pro cara sair da competição, não?

NÃO! Eis que chegamos a parte que me deixou P***ssimo da vida! Eles resolveram fazer os generosos e não eliminaram ninguém! WTF!? Enfim, resultado final, os quatro estão na final! u.u

O promo mostra menos do que de costume, mas era de se esperar, afinal é a FINAL! O tema é “Glee-ality”, ou seja, no way Alex ou Samuel ganham né? Por favor, produção! Saca só:

E aí, tá torcendo pra quem? Eu tô torcendo pra Lindsay! Mas se o Damian ganhar também fico feliz. Não quero de jeito nenhum Alex ou Samuel. E vocês? Comentem abaixo quem vocês acham que é o Gleekabe merecedor, hein? Semana passada rolou uma torcida pra Lindsay nos comentários, será que é só ela que tem torcida?

Are you F***ING serious? | Review The Glee Project 1×06 – Tenacity

Sério! Minha revolta tá nos céus de tão grande! PELOAMORDEJOSÉBONIFÁCIO (whoever that is!), o que eles tem na cabeça? Sério?

O tema da semana foi Tenacidade. O que seria isso? É o apego obstinado à uma ideia, um projeto. É perseverança, é vontade de realmente estar fazendo o que faz! Isso já devia bastar para eliminarem qualquer um dos dois que não foram eliminados no lugar de quem foi.

  

A música da semana foi a ótima “Bulletproof”, da La Roux. Gostei que fizeram uma divisão justa dos versos, e todos puderam cantar mais de uma vez. O jurado convidado foi Max Adler (o Karofsky). Ele pediu pra pararem no meio, e surpreendeu a todos. Pediu pra ser surpreendido e que os participantes tentassem surpreendê-lo. Isso feito, a escolhida (mas não merecedora) foi Marissa. Nessa ela realmente não se destacou, e só posso imaginar que Max escolheu ela para passar um tempinho a sós. Honestly, ela não foi a melhor. No entanto, sempre esteve bem no programa, então, não é tão revoltante assim.

  

Eles então recebem a notícia que irão fazer um vídeo para um Mashup de “Under Pressure”, do Queen, com “Ice, Ice, Baby” do Vannilla Ice. Na coreografia, as mesmas pessoas tiveram problemas (Cameron, Hannah e Damian) juntamente com Samuel que ficou tristonho por não ter ganhado a Homework Assigment, e Alex mais uma vez, se mostra aquém da competição e nem pratica direito. Menino insuportável e mal agradecido. Depois na gravação com Nikki, Marissa (que ganhou a homework e tem mais versos), não se sai muito bem, Hannah engasga na hora do rap, e de resto tudo vai ok.

      

A gravação do clipe foi bem detalhada, e eu curti isso. Todos foram slushied e foi bem divertido. Marissa não mostrou tanta energia, mas mandou bem no apanhado geral. Alex, foi tosco, sem energia e tava putinho de levar “raspadinhas” na cara. Cameron foi o problema da gravação, e foi o único que não conseguiu lidar com os Slushies sendo jogados. A coreografia teve um resultado bem do truqueiro, porque a gravação deve ter ficado um koo. Então, na pós eles jogaram efeitinho pra tentar deixar “bacanudo”. Fail! Vejam o clipe como ficou:

Lindsay se destacou pra mim. Depois vieram as decisões de quem ficaria nos bottom 3. Alex (no surprise), Marissa(um pouco de surpresa, mas pelo que Robert tinha falado durante as gravações do clipe já dava pra imaginar). E então dizem não saber entre Hannah e Cameron quem tinha que estar na terceira apresentação. Tipo, a Hannah só engasgou no rap, fora isso teve problemas com a coreografia, mas se entregou completamente nas gravações. Cameron, não! Decidiram então que Cameron se apresentaria. Robert então diz que eles se apresentarão com canções que eles fizeram audições para o programa.

  

Alex, se vestiu de mulher novamente (to make a “statement”, aham… Alex, sentalá!) e cantou “And I’m Telling You I’m Not Going”. Música que deram pra ele puramente para passá-lo para a próxima semana. Pois obviamente, a bee ahazou e apesar da mesma indiferença, ele passou adiante.

  

Depois veio Marissa, cantando “Hate On Me”. Música legal, ela mandou bem, foi tenaz o bastante, eu achei. E merecedora de um lugar na próxima semana, mais por sua bagagem e trajetória no programa (foi a primeira vez dela nos Bottom 3). Mas essa música “qualquer coisa” achei sabotagem da produção.

  

Cameron foi intimado a cantar uma canção original de sua primeira audição com Robert. A canção se chama “Love Can Wait”, e é bacanuda. O cara mandou bem também, mas por sua trajetória assim como Alex, já estava claro quem deveria sair.

E então… PAH! na nossa cara. Eles não levam em conta nada da trajetória, e E-L-I-M-I-N-A-R-A-M a Marissa. #todaschoradeindignação Não tinha cabimento ela ser eliminada agora, por mais qualquer coisa que tenha sido a apresentação dela. Ela mandou bem sempre no programa, enquanto Alex demonstra se achar melhor que os outros e Cameron não consegue lidar com coisas básicas de Glee, como beijar na boca e levar slushies na cara. Qual é, produção? Tem que ver isso aí, direito!

Anyway, indignações a parte, este foi o episódio, esta foi a eliminada. Na semana que vem o tema é Sexualidade, e a canção que vão trabalhar é “Like a Virgin” e “Teenage Dream” Legal, né? Olha os previews:

Pelo tema da semana envolver novamente trabalhar sensualidade, o puritano Cameron vai desistir, eu acho! Vai tarde. Começou sendo um dos meus favoritos, e agora não acho nada merecedor.

E aí, curtiu o Review? Concorda? Discorda? Comentem aí o que vocês acharam da eliminação dessa semana? E sobre o próximo episódio, quem será que desiste? Depois passa lá e curte nosso Facebook e segue no Twitter pra continuar sem perder nenhuma novidade!

Dupla de dois! | Review The Glee Project 1×05 – Pairability

Isso não é uma palavra de verdade mas foi o tema da semana. A habilidade de trabalhar em duplas. Os participantes tinham que não apenas cantar harmoniosamente como também entregar interpretações convincentes de que eram uma dupla de fato. Foi difícil!

  

Logo de ínicio, eles foram separados em 4 duplas de dois (durd) e receberam versos da canção “Need You Now”, do Lady Antebellum (Ouuun). A distribuição ficou Alex/Matheus, Samuel/Lindsay, Cameron/Marissa e Damian/Hannah. O jurado convidado foi novamente Darren Criss. Ele então assistiu a apresentação (meio bagunçada, eu achei) do grupo e decidiu que o vencedor da rodada, entre Samuel e Marissa, seria a Marissa. Como vencedora ela pode escolher seu parceiro de dupla. Apesar de ter se dado bem com Cameron, ela decidiu ir por outro caminho e escolheu o segundo melhor de acordo com Sr. Criss.

  

  

Essa semana o vídeo musical em grupo foi editado para 4 mini-vídeos em duplas. A distribuição ficou Marissa/Samuel cantando “Don’t You Want Me” (Human League), Hannah/Alex cantando “Nowadays” (Chicago), Lindsay/Cameron cantando “Baby, It’s Cold Outside” (Louis Jordan & Ella Fitzgerald) e Matheus/Damian cantando “Lady Is A Tramp” (Frank Sinatra).

A edição foi bem dinâmica e mostrando o processo de vídeo a vídeo, ao invés de fazer um amontoado e passar os clipes em seguida. Jogada inteligente, eu achei. Matheus e Damian tiveram problemas com a coreografia, claro. Mas Matheus mostrou problemas também na gravação dos vocais, e Nikki não pareceu contente meishmo. O resultado final você (re)vê aqui:

Depois tivemos Hannah e Alex. As duas se saíram bem. Acho que Hannah mandou melhor que Alex, pois Alex continuou com sua atitude “sou foda! sou diva!” e não foi legal. Peguei antipatia com ele depois do episódio passado. E esse episódio, pra mim, ele não melhorou em nada. Nem um pouco mais humilde. Hannah tava com ‘medo’ de ser sexy, mas acho que se deu bem. No final das contas, Alex ficou beeem parecido com Jennifer Hudson, não acharam? O resultado você pode (re)assistir aqui:

  

Então, seguimos para Marissa e Samuel. Nos vocais, os dois foram bem. Samuel (ao meu ver) deixa a desejar, mas a produção do programa curte ele… fazer o que? Marissa teve seu momento de brilho merecido. Já tava tarde dela dar um up e mostrar de verdade que veio para ganhar. Quando ‘dirigida’ a surpreender Sam om um beijo na boca, a moça nem pestenejou e se saiu muito bem. (Re)veja esse estalinho aqui:

O último vídeo a ser mostrado foi o dueto de Lindsay com Cameron. Foi o mais harmônico, vocalmente. Tinha todo o potencial de ser o melhor visualmente também, mas Cameron se mostrou meio ‘puritano’ demais para ser ator. Tipo, eu não tenho nada contra os valores que ele tem e tal, mas se o cara se dispôs a participar de um reality onde o prêmio final é um papel em uma série de TV, para atuar, dançar e cantar, presume-se que o cara não teria problemas em atuar. Tipo, é um beijo, cara? Nada demais. Se você pretendia seguir essa carreira de ator mesmo, você teria que se dispor talvez a fazer cenas mais fortes ainda. Mas anyway, o resultado final, apesar do ‘mimimi’ que rolou depois, ficou beeeem legal. Foi um dos melhores. Lindsay pra mim é mean girl, mas com razão. Ela não é que nem o Alex que te bota pra baixo, só pra te deixar mal, ela te bota pra baixo apontando coisas que você tem que melhorar mesmo. Pra mim pelo menos é assim. Confira o resultado abaixo:

Então, na hora de anunciar os 3 piores, eles deram uma mudada. Marissa e Samuel seguiram em frente, enquanto as três outras duplas tiveram que se apresentar para Ryan Murphy. Hannah e Alex cantaram “Valerie” (mais conhecida pela Amy Winehouse), Damian e Matheus cantaram “These Boot Are Made For Walking” (Nancy Sinatra) e Lindsay e Cameron cantaram “River Deep, Mountain High” (Ike & Tina Turner).

Hannah e Alex foram ok. Alex não se sobressaiu, e pareceu meio de saco cheio novamente. Foi brincalhão com Ryan, mas Hannah brilhou. Começou sem jeito, mas cativou a todos. Inclusive a Ryan.

Matheus e Damian foram esquisitos. Pegaram uma música sobre adultério e fizeram parecer briga (fajuta) de bar. Matheus sempre com seus pulinhos, vergonha alheia define. Damian encantador. Matheus é muito caricatural, não é sua altura, são suas ações mesmo. Quando questionado, Matheus disse que tentou melhorar mas tinham pessoas que não o apoiavam (Alex).

Depois tivemos Lindsay e Cameron. Mandaram muuuuito bem vocalmente, apesar de ter achado a música muito grande para Cameron, que obviamente não se sentiria confortável se apresentando com algumas horas de treinamento. Se saiu bem apesar dessa ‘sabotada’ que a produção deu.

Então Ryan escolheu os 3 piores. Matheus, Damian e Alex. Então, Matheus foi questionado novamente sobre Alex, que pediu desculpas (porque estava na frente de Ryan). Depois, até mesmo Ryan observa que parecia que Alex queria falar algo mais durante o questionamento, mas sisigurou. Durante a tomada de decisões, o clima na sala de espera ficou tenso, enquanto Matheus tava todo chororô e Alex estava culpando ele. Com razão. No entanto, pra mim o errado da história ainda era o Alex. However, no final das contas a DIVA venceu novamente, e o brasileirinho (literally) foi eliminado do programa. And that’s what you’ve missed on “The Glee Pro-Ject”.

Na próxima semana, eles terão que trabalhar com “Tenacidade”. A música da ‘Homework Assigment’ será “Bulletproof” (La Roux) S2. E a música do clipe musical será um Mash-up de “Under Pressure” com “Ice, Ice Baby”. O Oxygen Channel trabalha de maneira esquisita e já liberou uma série de Sneak Peeks do próximo episódio. Estejam avisados dos spoilers abaixo! Confiram ae:

Promo “Tenacity”

Sneak Peek 1 – Ice Ice Baby/Under Pressure Music Video Preview

Sneak Peek 2 – Vocal Recording Preview

Sneak Peek 3 – On the Set Preview

 

E aí, curtiu o episódio? Curtiu a Review? Comente aí. Aproveita também e passa lá e curte a gente no Facebook, ou se preferir segue a gente Twitter. 😉

Arrogância beats inexpressividade! Review The Glee Project 1×04 – Dance Ability

É isso que se resume o episódio galere! Se você é arrogante você prevalece, se você não tem “persona” você sai, entendeu!

  

No ínicio do episódio eles dão de cara com uma música nada a ver para a tarefa de “Dançar”. “Hey, Soul Sister”, do Train. Eles tinham que criar a coreografia e tal, fizeram um trabalho ok! O jurado convidado obviamente, foi ator adicionado ao elenco regular da série, Harry Shum Jr, o Mike Chang de Glee. Eles dançaram, cantaram, o Harry fez suas observações e escolheu um vencedor que na minha opinião não se destacou tanto assim, but… foi escolhido anyway. O vencedor foi o Samuel. Alex ficou putíssimo e tentou disfarçar com sua arrogância, prepotência e sei lá… arrogância de novo! (¬¬) ó pra ele!

  

Então eles recebem a tarefa de trabalhar em cima da música “U Can’t Touch This”, do MC Hammer. Todos rapearam bacaninha e em seu destaque, Samuel provou ser meio duas caras e roubou o “Skidush” de Hannah. Ela ficou chateada e com razão. Não gostava dele antes, agora gosto menos. Sempre achei ele inexpressivo e juntamente a McKynleigh pouquíssimo memorável. Todos gravaram o rap, hora de aprender a coreografia.

Claro que tem gente que consegue dançar, e tem gente que não devia dançar e ponto. Damian se superou e conseguiu fingir que dança razoavelmente, Cameron vai “bem” nos ensaios, e Hannah tem um pouco de dificuldade. Matheus tá ficando chatinho…

  

Hora de gravar o clipe. Todos foram “bem” dentro do possível. Lindsay e Marissa tiveram muito pouco destaque e passaram meio que despercebidas. Exceto pelo comeback que Marissa teve com seu “rebolado”. Damian adorou! Eu não! Rysos. Foi sem dúvida o melhor clipe da turma, e por ter visto as gravações e como o vídeo se saiu, dá pra ver que eles fizeram um ótimo trabalho na edição. Am I right? Damian ficou fofo querendo pagar de “mano”, Matheus é chatão nas gravações e mereceu sair ali mesmo. Pareceu muito mimadinho. Samuel teve seu destaque, obviamente, despercebido, e foi uma das últimas pessoas que eu notei. Alex tava sem energia e indisposto a fazer funcionar… quase parecia que ele estava aquém ao programa e se sentia melhor que todos ali. Pra quem quiser ver ou rever o clipe de “U Can’t Touch This”, vem comeego!

 

Na hora de decidir quem foram os 3 piores a escolha foi óbvia apesar de eu não ter citado McKynleigh acima. Ela novamente foi “qualquer coisa” e não se comprometeu com o papel da semana. Matheus foi “diva-mimada-quero-minha-água-e-estou-sem-espaço-pra-dançar” e mereceu ir pros bottom 3. Outro que merecidamente foi para as audições finais foi o arrogante Alex. Fez pose e carão o episódio todo de “sou melhor que todos aqui” e me irritou profundamente.

  

Nas apresentações, McKynleigh apresentou “Last Name”, de Carrie Underwood. Mandou bem, ficou meio caricata, mas conseguiu de fato passar um personagem e uma personalidade.

  

Matheus teve o momento “vergonha alheia” onde “sensualizava” no palco cantando “Down”, de Jay Sean. Estranhíssima performance, e sei lá, podia ter sido melhor… Num é por nada mas acho que ele decepciona bastante no ao vivo.

  

Alex, com indiferença e arrogância cantou “I Will Always Love You, de Whitney Houston Dolly Parton. Lógico que ele arrebentou nos vocais, no entanto, suas expressões faciais e corporais mostravam arrogância a todo momento. Como se estivesse com uma cara de “Por que eu to aqui? Eu sou melhor que todos aqui. Já ganhei!”. Ryan, cordialmente questionou-o sobre isso, e ele percebeu a burrada que falou e tentou melhorar a situação. Pra mim não funcionaria.

  

Para os jurados funcionou, e como o título do post já diz “Arrogância venceu a inexpressividade”. Alex fica mais uma semana e McKynleigh foi eliminada em sua “melhor forma”. Pra mim Alex merecia ter saído por sua atitude, mas compreendo que McKynleigh não melhorou o bastante e por isso foi eliminada.

 

Bom o próximo episódio eles terão que trabalhar “Duetos”. E não entendi o motivo, mas a Oxygen liberou dois Sneak Peeks com 2 dos duetos do próximo episódio. Saca só os promos:

Promo:


Sneak Peek 1 (Damian e Matheus)

Sneak Peek 2 (Cameron e Lindsay)

 

E aí, curtiu o episódio? A review? Concorda? Discorda? Comente aí! 😉

 

EU NÃO ACREDITOOO! Review The Glee Project 1×03 – Vulnerability

É isso que me vem a cabeça depois de assistir esse episódio! Um dos melhores concorrentes foi eliminado… infelizmente. Citarei nomes apenas mais na frente do post para evitar Spoilers aqui em cima pra quem ainda não viu o episódio ver quem foi eliminado. A partir daqui é spoiler pra quem te quero, okz? Combinado? Então vamosh lá!

  

O tema do episódio foi a tal da Vulnerabilidade. Na lição de casa eles receberam a tarefa de trabalhar em cima da canção “Please, Don’t Leave Me” da P!nk (sua mami lynda!). Ficou bacaninha, mas ainda acho que essa lição de casa deixa eles com muito pouco espaço de tempo para mostrar algum tipo de emoção… Anyway, a convidada Dot Jones (a treinadora Beiste) foi a jurada convidada e escolheu Matheus como o ganhador, apesar de achar que nessa rodada o prêmio devia ter ido pro Damian ou pra Emily.

  

Depois disso veio o clipe músical. Eles trabalharam em cima da canção “Mad World” do cantor Gary Jules. A canção trabalhava bastante a emoção pedida e foi realmente uma boa lição e aprendizado para os concorrentes. Foi pedido então aos participantes que se definissem em uma palavra ou frase que denominassem a sua insegurança, a sua vulnerabilidade, e eles deveriam “vestir a camisa” e se expor esse sentimento em plena multidão. Não senti um destaque para Matheus – que foi escolhido por Dot – e achei que muitos trabalharam superficialmente suas inseguranças. Matheus foi “Pequeno” (duh?), McKynleigh foi “Preto ou branco?” (Boring as usual), Alex foi “Gay” (cjura?), Hannah foi “Gorda” (Choque!), Samuel foi “Rejeitado” (te diz alguma coisa? não! ¬¬), Damian foi “Entorpecido” (what’s new?), Lindsay foi “Falsa” (rysos), Cameron foi “Mal-Entendido” (Aonde?), Marissa mudou de “Defeituosa” para “Anoréxica” nos 45 mins do segundo tempo (que HT de minha parte essa expressão!) e a mais chocante pra mim foi Emily que foi “Usada”. Devia ter sido a mais vulnerável mas se desconcentrava entre takes, o que não foi nada bom pra ela.

 

Não senti um destaque para Matheus – que foi escolhido por Dot – e achei que muitos trabalharam superficialmente suas inseguranças. No fim das contas, os 3 escolhidos para as audições com o Ryan Murphy foram Cameron (óbvio), Damian (of course) e Emily (se desconcentrou muito e perdeu a oportunidade).

 

Nas apresentações os 3 foram bem! Cameron cantou “Your Song”, de Sir Elton John. Cameron entrou, se apresentou e Ryan não acreditou. Deu uma segunda chance ao garoto que voltou e fez bonito.

Damian cantou “Are You Lonesome Tonight?”, do Rei Elvis Presley. Damian se mostrou muito vulnerável e com emoções relacionáveis a qualquer um. Foi muito bem.

Emily cantou “Grenade”, do Bruno Mars. Emily foi bem, mas ao invés de se mostrar vulnerável fez um mix de poderosa, valente, brava para no final da música cair no vulnerável. Ryan gostou da apresentação, mas disse que o fim podia ter “mantido a pose”. Disse também que por causa de sua apresentação, aprendeu uma forma de encaixar a música na série.

Decisões a serem feitas, os três foram excepcionalmente bem… na minha cabeça o que se passou foi “Pow, todo mundo foi bem, mas o Cameron só foi bem da segunda vez. Acho que é ele que sai”. Eis que me engano… e PAH! na minha cara, quem foi eliminada foi a EMILY!

=O

Todaschora! Emily era uma das minhas favoritas e uma das que eu mais torcia, se não era a que eu mais torcia, para ir para a final. Num deu pra ela, infelizmente! Participantes que quase nem aparecem como Samuel e McKynleigh continuam… (¬¬’)

Bom, o episódio foi esse. Vale lembrar que o tema do próximo episódio, que só será exibido dia 10 de julho, será “Habilidade de Dança” e o clipe musical será para “U Can’t Touch This”. Vejam os promos abaixo.

E pra quem quiser ver o resultado do vídeo músical para “Mad World”, se liga nessa!

E aí, o que achou do episódio? Curtiu a saída da Emily? Não curtiu? Diz aí!

Aproveita e curta nossa página no Facebook e siga no Twitter. 😉

Review The Glee Project – Episódio 2 Theatricality

Nesse episódio, a edição foi beeeem mais inteligente, mas como ainda temos muitos candidatos, muitos foram esquecidos por ela. SPOILERS AHEAD!

  

Neste episódio conhecemos um pouco mais dos participantes, no entanto, não acrescentou em nada a busca por um novo castmember para Glee. Eles começaram com o desafio de cantar Bad Romance, da Queen of Pop Gaga. A jurada convidada foi Idina Menzel. Alex foi escolhido como o merecedor do destaque, destaque este que não senti com tanta firmeza como tinha sentido com Matheus. Anyway…

  

Eu ainda num consegui sentir o que diabos eles querem que os participantes façam, pois o ganhador do destaque não pareceu merecer (pelo menos na minha opinião) e pessoas que eu achei que foram bem, quase foram pros bottom three! Não entendo, saca?

Enfim, nesse episódio pudemos ver que a Lindsay é de fato a mean girl arrogante, no entanto o que ela falou num senti que foi pra atacar a Ellis mas sim pra dar um toque na merda que ela fez.

  

O ruim, é que como todo reality, eles preferem editar e colocar um drama no meio ao invés de focar no talento que os participantes tem (citando este caso, não tô falando de qualquer realityzinho de pessoas qualquer tipo Jersey Shore XP).

Desta vez, McKynleigh, Matheus e Ellis se encontravam no bottom three.

    

McKynleigh pela falta de personalidade. Passou despercebida durante o episódio. Mandou muito bem na performance, gostei de sua versão, vocally speaking, mas achei que deixou a música meio arrastada.

Matheus hesitou muito, esqueceu de se soltar e foi parar lá. Sua performance foi no mínimo esquisita, esqueceu a letra mas num deixou isso afetá-lo. No entanto, mostrou que sua voz num é tãaaaao disciplinada como parecia antes, ou foram só os nervos, who knows? Mas num ia ser eliminado agora… fato!

Ellis por sinal, perdeu todo seu encanto durante o episódio e se tornou chata reclamona! Mais uma vez foi pro bottom three, e com razão! Sua performance foi muito boa, já que ela já sabia como lidar. Se sentiu mais confortável e mandou muito bem… mas não o bastante para salvá-la a ponto de achar que iam mudar com seu negativismo. McKynleigh agradece por mais uma semana.

  

No geral vimos que a edição melhorou, mas volto a repetir pela quantidade de participantes ainda pecou em mostrar o processo todo de gravação da música, treinamento de dança e gravação do clipe tudo ao mesmo tempo. Gostei que eles usaram o mesmo recurso de flashbacks que usam em Glee. Quem viu, sabe qual é!

PS: Eu ainda acho muito cafona o final com o eliminado cantando o verso de Keep Holding On, da Avril. E nas duas vozes eliminadas, há de convir que ficou bem ruim, não?

Confiram abaixo o promo do terceiro episódio e o que esperar da semana que vem!

E aí, o que achou do episodio? Concorda ou discorda? Diz aí!